Hemingway

O sol também se levanta

0 Love this post.0
Plaza

de O sol também se levanta
Editora Nova Cultural, 1987

Os homens, no alto do muro, inclinaram-se ergueram a grade do corral. Depois ergueram a porta da jaula. Curvei-me sobre o muro e esforcei-me por enxergar lá dentro. Mas estava tudo escuro. Alguém bateu na grade com uma barra de ferro. No interior, algo pareceu explodir. O touro batia na madeira, à direita e à esquerda, com seus chifres, e fazia um grande ruído.Divisei então um focinho negro, a sombra dos chifres e depois ouvi patadas na madeira da caixa oca. O touro precipitou-se no corral e parou, com as patas dianteiras deslizando na palha. Ergueu a cabeça, a grande corcova de músculos do pescoço inchada, retesada, a musculatura do corpo fremente, enquanto olhava a multidão sobre os muros de pedra. Os dois bois retrocederam e se encostaram à parede, de cabeça baixa, vigiando o touro.

O touro os viu e arremeteu. Atrás de uma das caixas um homem pôs-se a gritar e a bater com o chapéu de encontro às tábuas. O touro, deixando os bois, voltou-se e arremeteu para o ponto onde estava o homem, tentando atingi-lo atrás das tábuas, com meia dúzia de golpes rápidos e fustigantes com o chifre direito.

– Meu Deus! Como é belo – exclamou Brett.
Estávamos bem acima dele.
– Vejam como sabe servir-se bem dos chifres – disse eu. – Conhece a sua direita e a sua esquerda, como um jogador de boxe.
– Pois não é?
– Olhe!
– Ele vai muito depressa.
– Espera. Vai chegar outro dentro de um minuto.

Haviam trazido outra jaula para a entrada. Numa extremidade, por trás de um abrigo de tábuas, um homem atraiu o touro; e, enquanto este olhava para o outro lado, levantaram a grade e um segundo touro entrou no corral.

Fez uma arremetida direta contra os bois, e os dois homens, saindo de trás das tábuas, gritaram, para afastá-lo. O touro, contudo, não se desviou e os homems gritavam: “Ha, ha, ha, toro”, e agitavam os braços. dois bois puseram-se de lado, para resistir ao choque, e o touro investiu contra um deles.

– Não olhe – disse eu a Brett, que olhava, fascinada.
– Fabuloso! – exclamei. – Você não se impressiona
– Eu o vi – disse ela. -Vi-o mudar do chifre esquerdo para o direito.
– Formidável!

O boi estava por terra, com o pescoço estendido, a cabeça retorcida, da maneira como havia caído. Súbitamentte, o touro deixou-o, para correr em direção ao outro que permanecera ao fundo, balançando a cabeça, olhando o que se passava. Correu, desajeitado, e o touro o alcançou, feriu-o ligeiramente no flanco e olhou a multidão, sobre os muros, erguendo a corcova de músculos. O boi aproximou-se dele como se quisesse empurrá-lo com o focinho e o touro investiu ao acaso. Em seguida, empurrou o boi e ambos se dirigiram, trotando, para o outro.

Relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *