ERHA

Poente

0 Love this post.0

poema, a quem venho lamentar,
trago-lhe
poucas palavras
por dentro, tu bem me conheces,
pode dizer o que vê em mim?
podridão?.
polidêz?
por onde anda aquele mal, andei,
poema.
posso jurar:
por meus mundos nessa poça nunca mais.
por fora,
portas.
por dentro,
posto às traças.
Poema!!!…
Pô…e maria?

Relacionado

Cartas de Kioto

Sem título

Semblantes de tantas… foste antes sempre ingênuas espressões infantes, Sempre em falta a expressão do amor Sempre farta a expressão da dor Num dia primaveral, Se agraçada, pequena musa, vista-se de fada, Contemple o cêu a a flôr. …não entendeste ainda o amor?

Love this post.0
Mulheres

O vento

O vento, p’ra de sentido o melhor dos seus efeitos, é preciso ser levado além dos brônquios, do peito. É preciso estar além de nu. É preciso estar etéreo.

Love this post.0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *