Categoria: Marinês de Almeida

Home e-Mortais Marinês de Almeida
Presença
Post

Presença

Temo amando-te a tempo de perder-te Amo-te na intensidade do crescente admirar-te. Aguardo-te na calmaria dos sentidos que se refletem com medo.

Um
Post

Um

que os olhos sejam úmidos que os lábios sejam ledos que os ouvidos ouçam a sinfonia que as mãos escrevam a mais profunda filosofia que os passos sejam estáveis que a voz seja escutada no silêncio que o suspiro seja completo e manso que a observação seja intríseca que a vontade encontre eco nas veias...

Construção diária
Post

Construção diária

Quero não estar mesmo estando dispersa sinto parte das estrelas em mim espalhadas onde a dignidade faz-se noite ante a imprescindível calma absorvida pela lua, deixo para tráz observações que possam atrapalhar nosso tão completo amor rebelde fabricado em nosso dia a dia límpido, complexo plural…altivo… feiticeiro… eufórico… berrando dominante.

Exílio
Post

Exílio

Traga sempre consigo este imenso desejo de paz traga sempre consigo esta meiguice que não se esconde por detrás desta tua face lisa traga sempre consigo este silêncio oculto este escultar multidões este riso marcante Deixes talvez os enaltecimentos ao encontrar-tes grandeza sobre gestos influentes exilando, assim, indiferenças e aproximando-me de irreversível amor.