e-Mortais

Tatuagem

Tatuagem

Liberta do braço do marinheiro morto, a tatuagem dragão se lança na rua escura e fria. Busca um peito, um dorso, lugar qualquer onde possa se aninhar, onde possa espiar as presas, onde possa se guardar enquanto o fogo não vem. Azul, insinua-se , entre […]

Love this post.0

Um intruso muito estranho

Altas horas da madrugada, a garoa estreita batia firme quando aquele maluco surgiu no meu destino. É foda quando se é pego pelo simples detalhe. Estava no ronco, quebrado ia levantar às cinco para dar aulas. E bateram lá na porta. Abri. -É você que […]

Love this post.0
Confissões de um homem decepcionado com a literatura

Fim de caso

“Consideramos malvados a quienes no encubren ni ocultan ni mienten.” (Javier Marías) Se algum dia eu cheguei a lhe dizer que a amo, faça-nos o favor de esquecer! Consulto a minha memória e não encontro um fio de voz ou um pensamento nesse sentido. Pode […]

Love this post.0
Alcoólica

O papel da arte na sociedade

Basta olhar para a realidade à nossa frente e temos que convir que o homem se reduz a um objeto fechado, limitado a vínculos e influências que quase sempre consistem em alcançar o prático, o objetivo, transformando culturas, costumes e relações em atividades meramente lucrativas […]

Love this post.0
Casamento

marcio-elementos.html

Márcio Coutinho – Subcultura.net Márcio Coutinho Elementos E deram a falar comigo em elegância franzida, as dúvidas e a surpresa ocasional das hipóteses. Como se assim soubessem-me tolerâncias ou o desejo provinciano de minhas páginas internas. Nelas, sou paternidade a linhas tortas talvez saídas de […]

Love this post.0
Mexico

marcio-gotham.html

Márcio Coutinho – Subcultura.net Márcio Coutinho No céu alaranjado de Gotham City “As leis bloqueiam o louco que bloqueia as leis”.Afonso Henriques Neto Hospedar a dúvida aos sonhos tortos e, ao nu da alma, a cândida curiosidade que tinha. Deram-lhe então, a sentença para ser […]

Love this post.0
Cenário para Howl: memórias dos anos Waugh

Espasmos

Neste dia de hoje da cólera se fez o futuro. O passado descansa na rede embalada pela discórdia. Águia brava que rapina a carne, a água e o vinho. Desce pela garganta ardendo pelo togo tragado. Espuma de sangue flui e ferve nas veias enrijecidas […]

Love this post.0