Desejo

Desejo

Agora sim…
O cavalo sem graça desce do ar
balanceando a justiça com a cabeça,
três vezes contra a verdade.

3 2 3 desajeitado que é, pois é pégasus.
Trilha o som com casco
e se põe a voar galgando o ocaso
que nunca saberemos.

Estes seres que não indicam o destino
são a cópula da liberalidade,
mas não sabem sorrir.

Transmutado em homem, as vezes,
relincha dentuço
negando feito monge zen,
tudo menos sua própria beleza .

E sonhando eu te vejo
passeando pelo fantasma do fogo
a minha espera na terra com doce salíva.

E Eu que conheço os eqüinos
amanheço amargo .
Sei que no Ethos de seus pés,
nenhuma esperança vigia o que quero.

Também pode querer ver isto …

Postar Comentário

Seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *